11-3077-3647

11-98330-0227

Perguntas Frequentes sobre Peyronie:

Quando há indicação cirúrgica para a correção da curvatura peniana?

O Dr. Paulo Egydio reserva o tratamento cirúrgico somente para os casos em que os tratamentos clínicos não obtenham resultados satisfatórios. Estatisticamente, de todos os pacientes que desenvolvem o problema, somente 30% irão precisar de uma cirurgia corretiva.

A taxa de sucesso na correção da deformidade (curvatura) peniana está diretamente ligada a um bom diagnóstico, com a avaliação do problema em todas as suas dimensões. É de grande importância a experiência do médico acerca do assunto, tanto para se chegar ao melhor diagnóstico, quanto para indicar e realizar o melhor tratamento.

Tratamento por Ondas de Choque é eficiente na correção da curvatura peniana?

Segundo a maior experiência científica mundial, ao avaliar 17 importantes estudos internacionais sobre o tema publicados em revistas médicas internacionais conceituadas e especializadas, este tratamento não tem se mostrado eficiente. E isto você poderá verificar nos links que seguem:

» Extracorporeal shock wave therapy for Peyronie's disease: exploratory meta-analysis of clinical trials

» Extracorporeal shock wave therapy in Peyronie's disease: no convincing results

» Questionable efficacy of extracorporeal shock wave therapy for Peyronie's disease: results of a prospective approach

CONCLUSÃO: Estudos mundiais sérios sobre o assunto em questão revelam que o tratamento por Ondas de Choque não tem sido eficiente e as chances de insucesso são muito grandes. Por ser um tratamento muito caro, na maioria dos casos seria um gasto alto desnecessário.

Inclusive, no Congresso Americano de Urologia (o maior e mais importante do mundo) realizado em Abril de 2008 na Flórida - USA, a Faculdade de Medicina da Universidade de São Paulo – USP apresentou um estudo que comprova exatamente o contrário, ou seja, o estudo demonstrou que o tratamento por ondas de choque produz lesão dos tecidos e pode provocar a doença de Peyronie.

CAN EXTRACORPOREAL SHOCK WAVE THERAPY INDUCE PEYRONIE'S-LIKE PLAQUE IN NORMAL PENIS?

CONCLUSIONS: This study demonstrates that the ESWT (extracorporeal shock wave therapy) produced tissue injury and can induce Peyronie's-like plaque in normal penis.

TRADUÇÃO:

CONCLUSÕES: Este estudo demonstrou que o tratamento por ondas de choque produz lesão dos tecidos e pode produzir a doença de Peyronie.

Aparelhos de tração (Extensores Penianos) corrigem curvatura peniana?

Recomendo que não utilize aparelhos sem orientação e acompanhamento médico para evitar agravamento da curvatura e até maiores problemas. Não seja vítima dos apelos publicitários.

Discussões sobre o tema nos maiores e melhores congressos médicos mundiais e a opinião da grande maioria dos profissionais experientes comprovam resultados não-satisfatórios para correção de curvatura peniana com o uso de aparelhos de tração (extensores penianos).

A doença de Peyronie pode levar à ejaculação precoce?

Sim, devido à ansiedade que a doença cria no paciente, à dor durante ereções ou deformidade do pênis. Em muitos casos, corrigindo-se a curvatura, resolve-se este problema. Caso a ejaculação precoce não esteja associada à doença de Peyronie, existe tratamento. Uma avaliação é fundamental.

Exercícios para o pênis, uso de aparelhos e remédios que achei na Internet e que prometem resultados corrigem a curvatura peniana?

Oriento que não utilize exercícios, aparelhos e remédios que dizem ser milagrosos sem orientação e acompanhamento médico para evitar agravamento da curvatura e até maiores problemas. Não seja vitima dos apelos publicitários.

Tenho recebido pacientes com traumas no pênis provocados por exercícios e/ou aparelhos comprados pela Internet que prometiam muitos resultados.

Qual a posição de maior risco para o trauma peniano?

São as posições onde a parceira fica ativa na relação sexual, pois o pênis fica predisposto ao trauma. Quando o homem é o ativo, controla voluntariamente a amplitude de movimento e, dificilmente, o pênis se chocará contra o períneo ao sair da vagina durante o ato sexual, propiciando o trauma.

A dor durante a ereção melhora com tratamento?

Sim, logo após a fase inflamatória.

Até quando e o quanto o pênis pode curvar?

A curvatura tende a ser progressiva e pode piorar na evolução da doença. Quando a curvatura estiver há pelo menos 6 meses sem piora ou melhora, ela não deve piorar, a não ser que surja outro episódio de Peyronie.

Há casos de Peyronie em que não há curvatura?

Sim, quando houver dor à ereção, mesmo na ausência de curvatura, pode ser caso de doença de Peyronie. Uma avaliação é fundamental. Há casos que não desenvolvem uma curvatura e sim um afinamento do pênis.

Caso eu consiga a penetração, minha parceira pode ter algum desconforto?

Sim. A penetração pode ser facilitada com a ajuda da mão, mas a parceira pode ter desconforto durante a relação, por isso o diálogo e a cumplicidade são muito importantes para que a parceira possa relatar se está causando desconforto e/ou dor. Em muitos casos, a parceira fica constrangida e evita falar para não frustrar o paciente. É preciso ter muito cuidado também, dependendo do grau da curvatura, ao forçar o pênis na relação pode provocar traumas que venham a agravar ainda mais o problema, podendo causar um Peyronie difuso e até um trauma mais sério no pênis. Caso esteja com dificuldade na penetração, forçando o pênis na relação, uma avaliação criteriosa o mais breve é fundamental.

A doença de Peyronie pode atrapalhar o fluxo de urina e do esperma?

Pode vir a atrapalhar se a curvatura for mais acentuada.

Eu posso ter mais que uma vez a doença de Peyronie?

Pode ter mais que uma vez, porisso a prevenção de traumas é muito importante e poderá evitar a reincidência da doença. Uma avaliação é fundamental.

Os tratamentos orais, injetáveis ou tópicos têm indicação na doença de Peyronie?

Na fase inflamatória da doença, deve-se tentar o tratamento clínico. Uma avaliação criteriosa é fundamental para definição do melhor tratamento.

Qual a porcentagem de homens que desenvolverão a doença?

No livro americano de Peyronie (Peyronie's Disease), onde o Dr. Paulo foi convidado e escreveu um capítulo sobre a correção da doença, as estatísticas têm mostrado que aproximadamente 10% dos homens adultos desenvolverão a doença.

Quando devo procurar um especialista?

O paciente deve procurar o especialista imediatamente ao início dos sintomas, pois quando o tratamento é iniciado ainda na fase inflamatória, as chances de formação da cicatriz são menores, com melhor resultado, podendo evitar uma cirurgia.

Em caso de trauma no pênis durante uma relação sexual, devo procurar um especialista?

Em casos de traumas mais graves, nos quais ocorre um estalo e o pênis incha imediatamente devido ao rompimento da túnica albugínea, popularmente chamado de fratura peniana, deve-se procurar um pronto-socorro imediatamente.

Em casos de trauma sem inchaço e hematoma imediato, porém com dor às ereções após o trauma, o acompanhamento médico precoce é importante, pois é nesta fase de inflamação que se conseguem os melhores resultados, utilizando-se apenas de tratamento clínico.

É possível corrigir um pênis curvo? Como fica o tamanho após a correção?

O objetivo do tratamento do pênis com curvatura é restaurar e manter a função sexual. O médico deve ter consciência de que o homem com curvatura peniana possui uma ansiedade e uma apreensão muito grandes.

O pênis, ao se curvar, diminuirá de tamanho. Esta diminuição será ainda maior quanto maior for a curvatura.

As técnicas cirúrgicas anteriores levam à diminuição do pênis, pois diminui o tamanho do lado longo do pênis até deixá-lo do tamanho do lado curto.

Com a técnica cirúrgica desenvolvida pelo Dr. Paulo Egydio (reconhecida internacionalmente como "Técnica de Egydio"), alongando-se o lado curto do pênis até deixá-lo do tamanho do lado longo, consegue-se o máximo possível de recuperação do tamanho peniano em um procedimento cirúrgico.

É possível corrigir com anestesia local e sedação (para dormir durante o procedimento), com possibilidade de alta do hospital até no mesmo dia. O retorno ao trabalho e/ou estudo, exceto atividades físicas, tem sido possível na maioria dos casos em 1 a 2 dias.

O pós-operatório é tranqüilo com analgésicos comuns. Para retorno às relações sexuais é necessário esperar cerca de 6 semanas (um mês e meio).

Perguntas Frequentes sobre Pênis Curvo do Jovem

Como saber se a minha curvatura peniana precisa de tratamento?

Se a curvatura peniana o estiver prejudicando do ponto de vista físico (dificuldade ou impossibilidade na penetração; facilidade em dobrar e/ou escapar da vagina; provocar desconforto na parceira; prejudicar o ato sexual ou a qualidade do mesmo) e/ou psicológico (evitar relacionamentos; vergonha da aparência do pênis; medo e/ou vergonha do que a parceira vai pensar; medo de frustração no relacionamento; medo de não conseguir realizar o ato sexual; relacão sexual no escuro para a parceira não perceber o problema; medo e/ou vergonha da parceira contar para as amigas; etc), é fundamental uma avaliação.

A taxa de sucesso na correção da curvatura peniana está diretamente ligada a um bom diagnóstico, com a avaliação do problema em todas as suas dimensões. É de grande importância a experiência do médico acerca do assunto, tanto para se chegar ao melhor diagnóstico, quanto para indicar e realizar o melhor tratamento.

Aparelhos de tração (Extensores Penianos) corrigem curvatura peniana?

Recomendo que não utilize aparelhos sem orientação e acompanhamento médico para evitar agravamento da curvatura e até maiores problemas. Não seja vítima dos apelos publicitários.

Discussões sobre o tema nos maiores e melhores congressos médicos mundiais e a opinião da grande maioria dos profissionais experientes comprovam resultados não-satisfatórios para correção de curvatura peniana com o uso de aparelhos de tração (extensores penianos).

A fimose (dificuldade de expor a "cabeça do pênis" ou a formação de um "anel") e/ou o frênulo ("freio" ou "cabresto") curto podem ser responsáveis pela curvatura peniana? A cirurgia para correção desses problemas pode corrigir a curvatura?

A curvatura do pênis ocorre porque uma membrana (túnica) com menor elasticidade do que o normal provoca o repuxamento do pênis.

A pele do pênis raramente é determinante de uma curvatura, mesmo porque tem uma elasticidade muito grande.

No pênis curvo congênito (curvatura do jovem), observa-se mais freqüentemente curvatura para baixo e/ou para o lado, levando, muitas vezes, à interpretação de que o cabresto ou freio seja responsável pela curvatura, o que geralmente não é verdade.

Portanto, pode-se dizer que uma cirurgia somente para corrigir a fimose e/ou liberar o freio dificilmente corrigirá o problema da curvatura, o que pode ser comprovado durante a cirurgia ao se verificar a não-retificação do pênis por meio de uma ereção induzida com soro fisiológico ou medicamento.

A taxa de sucesso na correção da curvatura peniana está diretamente ligada a um bom diagnóstico, com a avaliação do problema em todas as suas dimensões. É de grande importância a experiência do médico acerca do assunto, tanto para se chegar ao melhor diagnóstico, quanto para indicar e realizar o melhor tratamento.

Exercícios para o pênis, uso de aparelhos e remédios que achei na Internet e que prometem resultados corrigem a curvatura peniana?

Oriento que não utilize exercícios, aparelhos e remédios que dizem ser milagrosos sem orientação e acompanhamento médico para evitar agravamento da curvatura e até maiores problemas. Não seja vitima dos apelos publicitários.

Tenho recebido pacientes com traumas no pênis provocados por exercícios e/ou aparelhos comprados pela Internet que prometiam muitos resultados.

A curvatura peniana do jovem pode facilitar a ocorrência de traumas que venham a desenvolver também a doença de Peyronie (curvatura adquirida)?

Sim, há casos em que a pessoa tem o pênis curvo do jovem (curvatura congênita) e pela predisposição a traumas devido à própria curvatura que facilita escapar da vagina, dobrar e forçar o pênis durante a relação sexual e também, em muitos casos, associada à uma ereção inadequada devido ao aspecto psicológico que envolve este problema, podem acabar também desenvolvendo a doença de Peyronie.

Tenho curvatura peniana e como ainda não tenho condições de resolver esse problema sozinho, não sei como contar aos meus pais. Como abordar este assunto com eles?

Recomendo que mostre o site (www.centrodecurvaturapeniana.com.br) aos seus pais para que eles entendam o seu problema e possam ajudá-lo na solução.

Por mais que nossos pais tenham pensamentos diferentes dos nossos (por diferença de criação, de geração, de experiência de vida, etc), eles são os nossos verdadeiros amigos, em qualquer situação, nos bons e maus momentos. Ninguém quer mais o nosso bem que os nossos próprios pais.

Pela experiência de todos estes anos, com inúmeros casos em que os pacientes fizeram desta forma, os pais souberam entender o problema do filho e o ajudaram na solução. Tenho inclusive inúmeros casos de pacientes que não se davam tão bem com seus pais e, depois disso, passaram a ser mais amigos e confidentes, com um relacionamento familiar muito melhor.

A ejaculação precoce pode estar associada à curvatura peniana?

Sim, pode ser que esteja associada à curvatura, devido à ansiedade que ela causa. Em muitos casos, corrigindo-se a curvatura, resolve-se este problema também. Caso não esteja associada à curvatura, existe tratamento e uma avaliação é fundamental.

É possível corrigir um pênis curvo? Como fica o tamanho após a correção?

O objetivo do tratamento do pênis com curvatura é restaurar e manter a função sexual. O médico deve ter consciência de que o homem com curvatura peniana possui uma ansiedade e uma apreensão muito grandes.

No pênis curvo existe um lado longo e outro curto.

As técnicas cirúrgicas anteriores levam à diminuição do pênis, pois diminui o tamanho do lado longo do pênis até deixá-lo do tamanho do lado curto.

Com a técnica cirúrgica desenvolvida pelo Dr. Paulo Egydio (reconhecida internacionalmente como "Técnica de Egydio"), alongando-se o lado curto do pênis até deixá-lo do tamanho do lado longo, consegue-se o máximo possível de recuperação do tamanho peniano em um procedimento cirúrgico.

É possível corrigir com anestesia local e sedação (para dormir durante o procedimento), com possibilidade de alta do hospital até no mesmo dia. O retorno ao trabalho e/ou estudo, exceto atividades físicas, tem sido possível na maioria dos casos em 1 a 2 dias.

O pós-operatório é tranqüilo com analgésicos comuns. Para retorno às relações sexuais é necessário esperar cerca de 6 semanas (um mês e meio).

Pergunta: Ainda sou virgem, devido à vergonha que tenho da curvatura do meu pênis. Já pensei diversas vezes em recorrer a "garotas de programa". Fico pensando se esta seria a melhor solução, pois não consigo levar um relacionamento a sério por falta de coragem de mostrá-lo a uma namorada, pois além da vergonha e do constrangimento, ela poderia contar para as amigas e estas espalharem para outras pessoas.

Resposta: Em virtude do constrangimento com o problema, o mais sensato é uma avaliação médica para definir se o seu caso pode ser considerado normal ou necessitaria de uma correção. Este deveria ser o primeiro passo. Tenho pacientes jovens que tiveram a iniciação sexual com garotas de programa e suas experiências não foram boas. Pode ocorrer delas fazerem piadas e comentários maldosos e desagradáveis, que poderão lhe ofender e vir a traumatizá-lo, agravando ainda mais o seu estado psicológico.

Pergunta: Tenho curvatura no pênis e sempre achei que esse problema fosse decorrente da minha fimose. Fui ao médico e fiz cirurgia de fimose há alguns anos, mas infelizmente meu pênis continuou torto. Estou psicologicamente abalado e não sei o que fazer, pois me sinto muito envergonhado e me achando deformado.

Resposta: Devido a muitas queixas como a sua, qualquer paciente que for operar de fimose deveria informar o médico se tem curvatura peniana. Isto porque as duas correções podem ser feitas ao mesmo tempo com a mesma cicatriz e aproveitando a mesma anestesia. Tenho verificado que muitas vezes o paciente não tem noção do que é um pênis normal. Em caso de dúvida, procure um especialista. Não se envergonhe de falar com os seus pais, parentes próximos ou pessoa de sua confiança. Eles o ajudarão a procurar auxílio de um profissional especializado na área e a manter o sigilo.

Pergunta: Desde pequeno tenho problema de curvatura no meu pênis. Minha primeira relação sexual foi decepcionante. Procurei, então, por um médico urologista, que me operou. Sinto os pontos debaixo da pele até hoje e eles causam muitas dores. Meu pênis ficou menor depois da cirurgia. Refiz este cirurgia duas vezes, pois, na primeira, os pontos arrebentaram passados dois meses e o pênis se curvou novamente. Os pontos na base do pênis ainda doem. Isso é normal, depois de tantos anos?

Resposta: É possível corrigir a curvatura alongando o lado curto ou reduzindo o lado longo. No seu caso, provavelmente foi feita a redução do lado longo com fios não-absorvíveis (que não desaparecem com o tempo). Pelo visto, após a segunda cirurgia está adequado, porém, os pontos ainda estão incomodando. Em alguns casos em que estes pontos ainda incomodam, tenho reoperado os pacientes e tirado estes pontos. Utilizo apenas pontos absorvíveis (que desaparecem com o tempo) nas cirurgias penianas para não ocorrer este tipo de problema. Tenho reoperado muitos pacientes em que os pontos estão incomodando.

Pergunta: Vendo fotos e filmes de sexo, notei que o pênis dos homens geralmente são um pouco curvos para cima. Raríssimas são as vezes em que aparece alguém com ele todo reto e nunca para baixo. Para cima é mais confortável para a mulher? O meu é curvo para baixo e às vezes minha namorada sente dor. Será que essas dores que ela sente são decorrentes dessa minha curvatura?

Resposta: Nas fotos e vídeos pornôs você pode comparar com o seu caso. Infelizmente, muitos pacientes concluem que o seu caso não é normal somente após a oportunidade desta comparação e, muitas vezes, em uma fase bem mais tardia da vida. Uma pequena inclinação para cima é considerada normal e a inclinação da vagina é em direção ao umbigo. Em função disto, nas posições mais comuns para o ato sexual, estas direções se concordam e fica bem adaptado. Pela sua descrição, você tem o pênis curvo para baixo e pode explicar o desconforto que sua parceira tem no ato sexual. Sugiro avaliação com um especialista para definir melhor o seu caso e, se necessário, fazer a correção.

Pergunta: Tenho curvatura no pênis desde que observei primeira ereção. Minha vida está psicologicamente abalada, afetando minha convivência familiar, social e profissional, além da minha auto-estima, que nunca esteve tão baixa. Tive uma namorada, com a qual tentei pela primeira vez uma relação sexual. Não conseguimos obter penetração, o que me frustrou profundamente. Tentamos em várias ocasiões e nada. Não continuei o namoro, pois não tive coragem de encarar essa deficiência. Tenho andado tão abalado e abatido que comecei até a usar drogas como meio de fuga deste terrível problema. A solução apresentada por essa nova técnica cirúrgica deu-me grande esperança de realizar os meus sonhos e ter uma família, dos quais já estava até desistindo.

Resposta: O seu problema é mais comum do que você imagina. Uma avaliação criteriosa é fundamental. Se necessário, uma cirurgia poderá ser indicada. O paciente poderá se internar, operar e sair do hospital no mesmo dia, podendo trabalhar no outro dia. Isto possibilita resolver o problema com o máximo sigilo. Não justifica você começar a usar drogas em função disto. É possível solucionar o problema e você ter uma vida normal. As drogas somente atrapalharão sua vida. Não sinta medo, nem vergonha.

Pergunta: Já tenho mais de 20 anos e sempre notei, desde o início da minha adolescência, que tinha curvatura no pênis. Nunca tive coragem de falar sobre esse assunto com meus pais. Já tive relações sexuais, mas na hora sempre fico preocupado e com medo de que a garota veja meu pênis. Porisso, tenho medo de encarar uma relação mais séria. Minha curvatura é para baixo; qual seria a cirurgia mais indicada para o meu caso?

Resposta: Pelo fato da sua curvatura ser para baixo, agrava a prática sexual, devido ao fato de que na maioria das posições o pênis com este tipo de curvatura estaria sendo introduzido "ao contrário", devido à posição anatômica do canal vaginal que possui uma inclinação em direção ao umbigo. Isto pode dificultar a penetração, facilitar sair da vagina, inclusive predispor a traumas no pênis e, em algumas situações, pode levar ao desconforto na parceira. Sugiro uma avaliação para definir se é o caso de se fazer uma correção ou mesmo de uma orientação, para levar uma vida sem constrangimentos. Não receie falar com os seus pais, pois, com certeza, eles saberão entendê-lo e ajudá-lo.

Pergunta: Sou casado, tenho vida sexual normal e minha esposa não tem queixas de dor durante o ato. Desde adolescente, tenho curvatura para cima e notei que há cerca de um ano ela vem se acentuando. Sempre tive o hábito de colocar o pênis para cima, desde criança. Isto está relacionado à causa da curvatura? Se forçar o pênis no sentido contrário ao da curvatura na tentativa de corrigi-la pode provocar trauma?

Resposta: Como está piorando a curvatura, pode estar desenvolvendo uma curvatura adquirida (doença de Peyronie). Sugiro uma avaliação criteriosa para um melhor diagnóstico e definição do melhor tratamento. Não recomendo ficar forçando o pênis no sentido contrário ao da curvatura na tentativa de corrigir a curvatura, pois pode provocar traumas no pênis podendo agravar ainda mais a curvatura e acabar até provocando maiores problemas.

Pergunta: Meu pênis é curvo e, às vezes, durante as relações, escapa da vagina ou acontece de dobrar quando recoloco; depois de muita atividade sexual, mesmo quando não acontece de dobrar, fica dolorido na parte onde "entorta". Quando não está totalmente ereto, posso dobrar com certa facilidade com a mão. Notei a curvatura desde a adolescência e não me lembro de ter causado nenhuma lesão na infância. Existe opção de tratamento clínico, sem cirurgia?

Resposta: Pelo seu relato, observa-se claramente que a sua curvatura tem favorecido tanto a saída fora da vagina, quanto a dobra no local da curvatura (instabilidade). Em casos como o seu, a correção está indicada para evitar traumas ou microtraumas que favorecerão o aparecimento de outro tipo de curvatura, diferente da apresentada (curvatura adquirida ou doença de Peyronie). Em casos de trauma mais severo, poderá até ocorrer o que chamamos de fratura peniana (ruptura da túnica albugínea, com extravasamento súbito do sangue dos corpos cavernosos, com hematoma e inchaço súbito durante o ato sexual). Não existe tratamento clínico eficiente até o momento para estes casos.

Pergunta: Fiz uma cirurgia para correção da curvatura do pênis, que era para a esquerda. Meu médico disse que eu teria de encurtá-lo no lado maior, pois seria o único jeito. Fiquei ainda mais indignado porque foram aplicados pontos que sinto dores até hoje e estão muito salientes, causando-me vergonha durante a relação e bastante complexo, além de muitas dores. Gostaria de saber se não há como retirar os pontos sem voltar a curvatura? Ou retirar os pontos e fazer uma nova cirurgia que não cause estes problemas?

Resposta: Tenho reoperado vários casos para resolver a questão dos fios inabsorvíveis (que não desaparecem com o tempo) que passam a incomodar e causar dores. Dependendo de quanto tempo foi feita a cirurgia, pode-se apenas retirar os pontos, e não necessariamente retornará a curvatura. Isto é possível checar durante a cirurgia de retirada. Há casos em que é preciso associar procedimento de correção da curvatura após a retirada dos pontos, no mesmo ato cirúrgico. Tenho utilizado apenas fios absorvíveis (que desaparecem com o tempo) em todas as situações. Como este problema vem lhe incomodando muito, provavelmente justificaria reoperá-lo. Para isso, seria necessário uma avaliação.

Pergunta: Tenho uma curvatura peniana acentuada. Nunca tive relações sexuais por medo, vergonha e constrangimento. Entrei em depressão, isolei-me de todos, enfim, sempre me achei deformado. Descobri neste site que o meu problema é muito comum e que existe solução. Isso foi realmente um alívio! Moro em outra cidade/Estado e não posso faltar no trabalho nem na faculdade, até para não deixar que ninguém perceba que tenho esse problema. Como fazer para corrigi-lo? Qual o tempo necessário para voltar às atividades normais após a cirurgia de correção?

Resposta: Sim, este problema é muito comum e existe tratamento. O paciente poderá se internar, operar e sair do hospital no mesmo dia, podendo trabalhar no dia seguinte. Isto possibilita resolver o problema com o máximo sigilo.

Pergunta: É comum a perda de ereção com uso da camisinha em homens que apresentam a curvatura peniana?

Resposta: Provavelmente, a perda da ereção ao colocar a camisinha, deva-se ao fator de constrangimento psicológico. Uma vez que, ao olhar para o pênis, não só você estará vendo o seu problema, como também terá receio de que a parceira o perceba. Estas questões favorecem a perda da ereção. Caso isto esteja incomodando, justificaria uma avaliação especializada para definir o melhor tratamento.

AGENDAMENTO DE CONSULTAS

11-3077-3647

11-98330-0227

Clique aqui para falar conosco.